Como a Acupuntura funciona?

Acupuntura , , , ,

Acupuntura 2017
A ciência por trás da Acupuntura.
Como a acupuntura funciona?
De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, a acupuntura afeta a força vital chamada Qi.

Mais de 2000 pontos de acupuntura no corpo são conectados por meridianos, ou caminhos, através do qual a energia deve passar livremente para melhorar o bem-estar. Distúrbios neste fluxo resultam em doenças e disfunções.
Através dos anos, pesquisas mostraram que a acupuntura afeta uma variedade de sistemas biológicos – libera hormônios, desabilita receptores, e ativa químicas anti-inflamatórias. Foi sugerido que o poder de cura da acupuntura vem dos seus efeitos no sistema nervoso. Isso pode ajudar no efeito analgésico de químicos chamados endorfinas ou ajuda as células do sistema imunológico combater infecções, de acordo com a National Institute of Health, órgão de saúde americano.

Conexões intrínsecas de tecidos conectivos – que se estendem através do corpo – podem ser o ponto crucial da acupuntura, de acordo com outros estudos. É evidente quando uma agulha de acupuntura é inserida no corpo. Como uma faca num prato de espaguete, agarra pequenos pedaços de tecido conectivo e nervos envolvidos entre músculos.

A tração do corpo neste tecido é intensa, o que tanto o praticante quanto o paciente podem sentir, diz um pesquisador. “Essa agulha é segurada pelo corpo, fica sugada dentro. Se você mover um pouco esta agulha, é segurada pelo corpo, o corpo não quer soltar”, segundo o pesquisador.

O giro e manipulação desta agulha instantaneamente afeta os tecidos conectivos no seu plano – incluindo mais pontos distantes do plano. Tudo isso foi documentado usando ultrassom de alta resolução, disse o estudo.
Acupuntura não é popular ainda. “Mas muito progresso foi feito. Parte disso é por causa da credibilidade ganha em tentativas clinicas. O contínuo uso do consumidor e satisfação direcionaram muitas pesquisas. Pessoas estão usando acupuntura, gastando dinheiro nisso, e eles têm algumas questões validas se este é o melhor uso dos seus recursos.”.

Acupunturistas são melhores treinados agora que no passado, ele acrescenta. “Eles são treinados de forma a integrar melhor com a medicina convencional. Eles podem falar articuladamente sobre pesquisas que estão acontecendo e as limitações destas pesquisas. Isso legitima o que fazemos de uma forma que faz sentido”.

O que a acupuntura pode fazer por você

Alívio na dor: Com a segurança dos analgésicos sendo questionada e alguns deles (como o Vioxx) sendo tirado do mercado recentemente, novos estudos dão a quem sofre de artrites e dores musculares mais razões para tentar a acupuntura. Uma vantagem deste tipo de tratamento, diz o NIH, é que os níveis de efeitos colaterais são substancialmente menores do que muitas das drogas ou outros procedimentos médicos aceitos usados para as mesmas condições.

No que foi saudado de “o maior, mais longo e mais rigoroso estudo de acupuntura” já feito, encontrou-se que a acupuntura teve uma melhor redução da dor e melhora nas funções e movimento dos pacientes com osteoartrite do joelho quando usada com outros tratamentos.

O estudo abre portas para mais e melhores pesquisas de acupuntura. “Esse foi um estudo marco não somente nas descobertas para osteoartrite. Mostra que se colocarmos recursos numa cuidadosa tentativa destinada, nós provavelmente veremos algo definitivo… nós poderemos dizer com mais certeza que outras [aplicações de acupuntura] são efetivos”, segundo um dos pesquisadores.

Efeitos colaterais de câncer: Náusea e vômitos – os agoniantes efeitos colaterais da quimioterapia – respondem bem à acupuntura. Um estudo publicado há alguns anos atrás mostram que a acupuntura mais remédios anti-náuseas funcionaram melhor do que o remédio sozinho.

Depressão: Um estudo no final dos anos 1990 da Universidade do Arizona mostrou que mulheres clinicamente deprimidas responderam bem ao uso da acupuntura. Outros estudos preliminares de ansiedade e depressão mostraram que a ansiedade relatada a procedimentos médicos podem ser resolvidas com algum tempo de tratamento de acupuntura.

Derrame: Resultados de um estudo de acupuntura no tratamento de pacientes com derrame estão chegando. “Nós vimos resposta, mesmo entre pessoas que sofreram de derrame há muitos anos atrás, ” reporta um pesquisador. “A paralisia crônica e paralisia estão respondendo bem. ” Porém, resultados de outros estudos sobre derrame não mostraram efeito. Mais pesquisas são necessárias, ele aponta.

Dor pélvica: Um estudo corrente em movimento envolveu endometriose – dor pélvica relatada por mulheres jovens. “É uma condição muito séria em que o curso padrão de (tratamento por medicamentos) nem sempre funciona”, dizem os pesquisadores. “Elas podem voltar à escola ou praticar esportes. O último recurso é induzir a menopausa em garotas de 15 anos. Mas há alguma evidência de que a acupuntura pode ajudar”.

Infertilidade: Acupuntura também impulsionou a efetividade de procedimentos de reprodução médicos de última geração. Pequenos estudos descobriram que adicionar acupuntura à tradicional Fertilização In Vitro (FIV) aumentam o sucesso de gravidez. Também há evidências que acupuntura estimula o fluxo sanguíneo e a produção de óvulos por mulheres que não podem – ou não querem – usar medicações fertilizantes para ajudarem a engravidar.

O tratamento “tem um efeito calmante e restaurador que aumenta a sensação de bem-estar e ultimamente ajuda o corpo a aceitar a criação da vida”, disse a acupunturista Ifeoma Okoronkwo, Doutora em Medicina, e professora de medicina na Universidade de Escola de Medicina de Nova Iorque. Estudo mostraram que uma clara ligação entre acupuntura e as químicas cerebrais natural de “bem-estar”.

Acupuntura também parece afetar três áreas críticas para produção de óvulos e ovulação: duas áreas do cérebro que controlam a produção de hormônios (o hipotálamo e a glândula pituitária) assim como os ovários. “Minha aposta é que a acupuntura está mudando a suplementação sanguínea de ovários, possibilitando a dilatação de artérias e aumentando o fluxo sanguíneo, que somente ultimamente, os ovários estão recebendo melhores quantidades de estimulação hormonal, ” segundo Sandra Emmons, Médica, professora de obstetrícia e ginecologia da Universidade de Ciências da Saúde de Oregon.

Acupuntura pode também “aumentar” a linha uterina quando está muito fraca para sustentar a gravidez, problema conhecido que aumenta o risco de aborto.

Estudo apontam sobre como acupuntura funciona para aliviar o estresse

A acupuntura, que tem sido valorizada como parte da tradicional medicina Chinesa por milhares de anos, é agora usada por milhões de brasileiros a cada ano, frequentemente para tratamento da dor. Mas agora pesquisas têm revelado que a técnica curadora pode também ser efetiva no tratamento de uma das mais difundidas doenças e mais enfrentadas atualmente: estresse crônico.

Acupuntura pode aliviar estresse crônico

Um novo estudo em animais mostrou que ratos tratados previamente com acupuntura não tiveram picos em hormônios associados ao estresse depois de serem expostos a estresse crônico. Ao contrário, ratos que não receberam tratamento ou um tratamento de acupuntura placebo, tiveram altos níveis do Hormônio Liberador de Corticotrofina (CRH) junto a outros hormônios do estresse. É o constante aumento dos hormônios de estresse que são associados a muitos problemas de saúde ligados a estresse crônico, como depressão, insônia e ansiedade. Em animais estressados que receberam acupuntura, níveis do hormônio do estresse foram similares ao dos animais controlados que não estavam sob estresse crônico, o que sugere que a antiga modalidade de cura ajuda a normalizar os níveis de estresse.

Acupuntura também confirmada na ajuda do tratamento de dor crônica
Em uma recente análise publicada na conceituada revista científica Archives of Internal Medicine, pesquisadores concluíram que acupuntura tem um efeito definitivo na redução de dor crônica, como dor nas costas e dor de cabeça – mais do que tratamentos padrão para dor. A acupuntura real também produz resultados ligeiramente melhores do que usando agulhas simuladas, o que sugere que os benefícios das agulhas são mais do que somente o efeito placebo. O estudo revelou um efeito “claro e robusto” da acupuntura no tratamento de:
– Dor nas costas
– Dor no pescoço
– Dor nos ombros
– Osteoartrite
– Dor de cabeça

Numa escala de 0 a 100, participantes que iniciaram com uma dor na casa de 60 classificaram:
 Uma média de 30 pontos de redução (50% de redução) em resposta ao tratamento real de acupuntura (usando agulhas)
 Uma queda de 25 pontos quando receberam agulhas simuladas
 Meros 17 pontos ao receberem “tratamento padrão para dor”, que não inclui acupuntura

Recentes avanços em tecnologia ajudaram a desvendar os mistérios biológicos desta pratica medicinal de 2000 anos de idade. Pesquisadores estão perto de entender como a agulha de acupuntura pode subitamente ajustar os tecidos do corpo, nervos e hormônios. Tanto a NIH quanto a Organização Mundial de Saúde, deram aprovação formal de certos usos da acupuntura.

Isso ajuda a ter uma mentalidade mais aberta e exploradora quando considerando acupuntura. “Mesmo as pessoas que não têm a mente tão aberta e tentam, se sentem bem durante os tratamentos”, David S. Kiefer, MD, da Universidade do Arizona em Tucson. “As vezes as pessoas são surpreendidas”.

Como a acupuntura funciona? Uma revisão sistemática das explicações fisiológicas racionais a partir de ensaios clínicos
Moffet HH. How might acupuncture work? A systematic review of physiologic rationales from clinical trials. BMC Complement Altern Med. 2006; 6: 25.

Trata-se de um artigo de revisão que procura explicações dos mecanismos fisiológicos para os efeitos terapêuticos da acupuntura. Os trabalhos científicos geralmente correlacionam a intervenção com os resultados, procurando explicações do tipo causa-efeito.

Nesse trabalho foram levantados artigos científicos a partir de pesquisa no PubMed em 16 de maio de 2006 com a palavra-chave acupuntura, considerando-se apenas os artigos escritos em língua inglesa, publicados em 2005 e que foram classificados como ensaios clínicos. Excluiu-se os artigos que não eram de fato ensaios clínicos de acupuntura, as cartas e os resumos.

Procurou–se explicações que iam desde a descrição do processo fisiológico no humano até a correlação entre a intervenção e o resultado.

Durante o levantamento foram observados os objetivos dos trabalhos, os interesses nos resultados, o país de origem de cada artigo, a origem dos recursos financeiros para a realização do trabalho e a revista da publicação.
Foram encontrados 698 artigos científicos no PubMed no ano de 2005 com a palavra acupuntura; destes, apenas 101 artigos eram ensaios clínicos de acupuntura e 93 em língua inglesa. Alguns artigos foram excluídos, pois a publicação oficial foi em 2006, outros não eram realmente ensaios clínicos e alguns eram cartas ou resumos. Restaram 79 artigos.

Dos 79 trabalhos, 26 (33%) não encontraram uma explicação fisiológica para o efeito terapêutico da acupuntura. Algumas patologias envolvidas nestes trabalhos foram alucinação auditiva, síndrome da fadiga crônica, sinusite crônica e depressão.

Em 53 artigos (67%) encontrou–se algum mecanismo fisiológico envolvido na causa-efeito da acupuntura. São eles:
Neuroquánico: principal explicação; esteve presente em 33 trabalhos. A acupuntura estimula a liberação de neurotransmissores, principalmente opióides endógenos (betaendorfinas, encefalinas e dinorfinas) ou serotonina. As desordens envolvidas nesses trabalhos foram: analgesia, náusea e vômito, obesidade, Parkinson, síndrome do intestino irritável, colites, insônia e sintomas da menopausa.
Segmentar ou “Teoria do portão”: presente em 2 trabalhos como principal explicação e em outros 5 como explicação secundária. A acupuntura bloqueia ou interfere nos sinais nociceptivos da dor na medula. Tal explicação é importante nas situações de analgesia.

Modulação no SNA (Sistema Nervoso Autônomo): presente em 6 trabalhos. Em alguns outros artigos há a sugestão de envolvimento na regulação do SNA. A acupuntura influencia na qualidade do sono, continência urinária, transpiração, náuseas e vômitos.

Efeito local em tecidos e nervos ou efeito mecânico no tecido conectivo: 3 trabalhos.
Efeitos funcionais específicos no cérebro: 5 trabalhos. Tenta-se correlacionar os pontos da acupuntura com áreas cerebrais motoras ou sensoriais.
Outras explicações: 5 trabalhos. A acupuntura promove homeostase, regula a função cerebral, afeta a mobilidade dos espermatozóides e é variável de acordo com o genótipo do paciente.
A maioria dos trabalhos foi feita com acupuntura clássica com agulhas, mas também, foram utilizados outros métodos como a estimulação elétrica, auriculoterapia, moxibustão, LASER, sangria e outros.
Em alguns estudos utilizou-se o método placebo, nos quais a punctura foi realizada longe dos pontos dos meridianos, o estímulo elétrico e o LASER estavam desligados ou foram utilizadas pomadas sem efeito terapêutico.
Nenhum estudo sugere diferença no efeito neuroquímico dependente da localização do ponto ou método utilizado.

Os artigos são originários de 21 países e foram publicados em 52 diferentes jornais, alguns faziam referência à origem do recurso financeiro para a elaboração do estudo. Não foi estabelecida uma associação entre as teorias para explicar o efeito da acupuntura e o país de origem do artigo, nem o tipo de publicação e nem o recurso financeiro.

Observou-se que os mesmos pontos podem ser utilizados para várias indicações, e para um mesmo paciente foram utilizados pontos diferentes a cada consulta. Isso sugere que a acupuntura estimula processos regulatórios no indivíduo, promovendo um benefício global.

As dificuldades apresentadas foram de se encontrar um placebo adequado e o fato de sentir-se cuidado já traz um efeito benéfico.

E por que encontrar uma explicação é tão importante?
Não é suficiente dizer que os mecanismos são pouco compreendidos. Entender as bases fisiológicas fará com que a acupuntura seja mais confiável, além de ser difícil desenvolver hipóteses e trabalhos científicos sem um embasamento do mecanismo fisiológico.

Conclui-se que todo trabalho científico deve atentar à explicação para uma intervenção adequada, mas muitos trabalhos sobre acupuntura falham no momento de apresentar uma explicação significativa.
A principal explicação para a acupuntura envolve respostas neuroquímicas que aparentemente independem do objetivo, seleção do ponto ou método de estimulação. Tais questões merecem mais investigação.
Muitos artigos se propõem a testar a acupuntura sem um embasamento fisiológico, mas, cientificamente são falhos.

Havendo uma explicação pode-se desenvolver uma hipótese causal, escolher um apropriado grupo controle e excluir efeitos placebos.

RESUMIDO POR ADRIANA LAGE DOS S. VIEIRA

Fonte: http://www.hong.com.br/como-a-acupuntura-funciona/