Tendinite do supra-espinhoso do ombro

Fisioterapia , , , ,

kinesio-ombro
A tendinite do supraespinhoso do ombro é uma doença do ombro caracterizada por inflamação e degeneração do tendão.

A articulação do ombro é estabilizada pelo “manguito rotador”.

Os rotadores são quatro pequenos músculos localizados ao redor da articulação do ombro, envolvidos nos movimentos de rotação externa e interna e os seus tendões estabilizam a cabeça do úmero dentro da cápsula articular.

O supra-espinhal é um músculo que passa entre o acrômio e a cabeça do úmero, se existe pouco espaço esfrega contra o acrômio (osso que forma a ponta do ombro).

O músculo supra-espinhal ajuda a levantar lateralmente o braço.

A bursa subacromial reduz o atrito entre o tendão e o acrômio, se trata de um saco cheio de líquido localizado entre o tendão do supra-espinhal e o acrômio.

Às vezes, a tendinite do supra-espinhal pode ocorrer juntamente com a bursite do ombro (a inflamação da bursa subacromial).

Algumas fibras do tendão do supra-espinhal podem se danificar causando uma ruptura parcial ou completa.

A tendinite e a ruptura parcial do tendão do supraespinhoso, podem provocar um movimento doloroso porque quando a pessoa levanta o braço para o lado, o tendão começa a esfregar contra o acrômio.

A dor geralmente começa na metade da amplitude de movimento, mas desaparece próximo do final da amplitude de movimento para a posição vertical (180°).
Também pode haver outros motivos que causam essa dor como a artrite acrômio-clavicular (na parte da frente do ombro), mas geralmente provoca dor no final da amplitude de movimento, quando o braço é quase vertical.

Quem sofre de tendinite do supraespinhoso?

A tendinite insercional do supra-espinhal (na parte final) é muito freqüente, é a inflamação mais comum da articulação do ombro. Esse problema geralmente ocorre em pessoas com idades entre 25-60 anos.

Fatores de risco da tendinite do supra-espinhal

Geralmente, a tendinite é a conseqüência de um desgaste crônico do tendão supra-espinhal devido sua passagem sob o acrômio. Este problema pode ocorrer em atletas e pessoas que trabalham muito com os braços acima da cabeça, embora pode ocorrer em qualquer pessoa.

As variações anatômicas como por exemplo a forma do acrômio ou o espaço subacromial estreito por causa de um espessamento dos ligamentos podem favorecer a tendinite.

Lesões do tendão supra-espinhal ou outros músculos do manguito rotador são frequentemente a conseqüência de uma queda sobre o ombro, geralmente nas pessoas idosas.

Também pode resultar de atrito, com um desgaste gradual ou degeneração ou por outras doenças inflamatórias como artrite reumatóide.

Causas da tendinite do supraespinhoso

A inflamação pode persistir por anos até se torna crónica se não é tratada adequadamente.

O princípio da formação de aderências no tecido cicatricial explica como pode ocorrer.

Por exemplo: um jovem nadador durante uma braçada lesiona algumas fibras do tendão supra-espinhal.

Só se sente um pouco de dor, mas depois de alguns dias o ferimento parece cicatrizar espontaneamente.

Infelizmente, é possível que com a cura se formam algumas aderências de cicatriz no tendão.

Anos mais tarde, o mesmo paciente corre para o aeroporto carregando malas pesadas na mão, depois sentirá dor no mesmo ombro por uma semana. Provavelmente outras fibras do tendão do supra-espinhal foram lesionadas em torno da área da lesão anterior, portanto a área do tecido cicatricial se expande.

Um ano mais tarde o mesmo paciente cai para a frente sobre os braços enquanto patina no gelo e em seguida sentir dor no ombro diariamente.

O tecido cicatricial que se formou ao longo dos anos enfraqueceu o tendão do supra-espinhal.

Nesta situação quando o músculo é chamado em causa não pode fazer seus trabalhos otimamente, portanto se formam mais lesões.

O trabalho repetitivo e alguns esportes (por exemplo, o voleibol) podem causar micro-fraturas que causam a tendinite.

O uso de um mouse pode sobrecarregar o tendão se a postura não é correta.

Sinais e sintomas da tendinite do supra-espinhal

Início da dor

A dor no ombro pode ocorrer de repente com uma sensação de puxão como resultado de uma lesão.

É possível que os sintomas ocorram gradualmente ao realizar tarefas com os braços acima da cabeça, mais parecido como a síndrome do impacto do ombro.

Localização dos sintomas
Geralmente a dor é localizada na parte da frente, de lado e atrás do ombro.

Pode ser localizada no nível da cápsula posterior (normalmete associada com uma instabilidade anterior do ombro ou retração da cápsula posterior).

A dor pode irradiar para o braço, mas não pode chegar até o cotovelo.

Muitas vezes o paciente também sofre de tendinite da cabeça longa do bíceps.

Diagnóstico e tratamento da tendinite do ombro

Teste

O teste ortopédico para a tendinite do supra-espinhal é positivo se você sente dor durante o movimento de abdução contra resistência. Se pode haver um arco doloroso quando o braço é abduzido do corpo entre 70 e 110 graus porque as fibras do tendão são comprimidas entre a cabeça do úmero e o acrômio.

Teste de Neer: O examinador eleva com a força o braço estendido e rodado internamente no plano escapular, causando o choque do tendão supra-espinhal contra a porção ântero-inferior do acrômio.

O teste é positivo se surge dor no ombro.

Teste de Hawkins-Kennedy: Com o ombro e o cotovelo flexionado a 90° o examinador roda o braço para dentro, causando um choque do tendão supra-espinhal contra o arco do ligamento coracoacromial.

O teste é positivo se surge dor.

O examinador pode então colocar 10 mL de solução de lidocaína 1% no espaço subacromial e em seguida repete o teste para a síndrome do impacto.

A eliminação ou a redução significativa da dor constitui um sinal positivo do choque.

Teste de queda do braço: O paciente coloca o braço em elevação máxima no plano escapular e então baixa lentamente.

O teste pode ser repetido após a injeção subacromial de lidocaína. Uma queda súbita do braço sugere uma ruptura do manguito rotador.

Teste de Jobe: O paciente é solicitado de fazer uma rotação interna do ombro movendo o polegar em direção ao chão.

Será solicitada a elevação do membro com resistência a 30° de flexão e 90° de abdução.

O resultado é positivo quando existe fraqueza em comparação ao lado saudável, sugerindo uma ruptura do tendão do supra-espinhal.

Diagnóstico diferencial

Para fazer o diagnóstico diferencial o médico deve excluir:

• Luxação da articulação acrômio-clavicular,
• Tendinite da cabeça longa do bíceps,
• Lesão do plexo braquial,
• Nevralgia cervicobraquial,
• Entorse da coluna cervical,
• Fratura da clavicula,
• Contusões,
• Lesão do supra-espinhoso,
• Dor miofascial,
• Lesões do manguito rotador,
• Luxação do ombro,
• Síndrome do impacto do ombro,
• Lesões do lábio glenoidal superior,
• Ombro do nadador.

Exames de imagem

Uma radiografia pode mostrar uma calcificação do ombro (cristais de cálcio) em caso de tendinite crônica. Também pode ser útil para determinar as variações anatômicas do acrômio impossível de ver durante o exame dos tecidos moles.

Muitas vezes pensamos que a causa da dor no ombro são os depósitos de cristais de cálcio, ao invés da inflamação do tendão.

Nestes casos o médico pode recomendar a cirurgia para remover as calcificações.

Às vezes, também podem estar presentes das calcificações que não causam dor.

Qual é o tratamento para a tendinite do supra-espinhal do ombro?

O repouso é importante durante a fase aguda (inicial) da tendinite para permitir a inflamação de cicatrizar (pode ser útil analgésicos e antiinflamatórios não esteróides).
São também efetuadas injeções de cortisona com anestésico local diretamente na bursa subacromial ou no tendão do supra-espinhal (pode ocorrer um aumento da dor nas primeiras 48 horas).

Fisioterapia

Para a tendinite do ombro pode ser efetuado o tratamento com laser, ondas de choque ou ultra-som.

A T.E.C.R. terapia © não é adequada porque não age sobre o tendão.

No caso de tendinite calcificada (formação de cristais de cálcio no tendão) podemos efetuar as ondas de choque.

Cirurgia

Se aS ondaS de choque não são suficientes para a calcificação do ombro, é necessária a aspiração das calcificações com uma injeção local ou a remoção cirúrgica dos cristais de cálcio.

Para prevenir a recorrência, você pode prosseguir com uma cirurgia em artroscopia (inserção de uma pequena câmera na articulação do ombro através de um pequeno corte sob anestesia), chamado acrômio-plástico. Esta cirurgia envolve a remodelagem do acrômio ou a divisão do ligamento coraco-acromial para evitar a recorrência.

Do mesmo modo também os tendões do manguito rotador podem ser reparados (embora isto pode ser difícil depois de um tempo, porque o tendão se retrai).

Remédios naturais para a tendinite do supraespinhoso do ombro

Kinesio taping: ação: relaxamento. Forma: uma tira a ‘Y ‘. Comprimento: 20 cm. Aplique a fita sem tensão, colocando o braço em rotação interna a partir do ombro e seguindo a forma do músculo.
Este tratamento também pode ser realizado para mulheres grávidas porque o kinesio taping– não contém medicação.

Taping para tendinite supra-espinhal
O gelo não é necessário para tratar a tendinite, mas ele pode aliviar a dor temporariamente.

Exercícios de ginástica
Este programa de exercícios para o ombro é muito eficaz se feito de forma consistente. O alongamento realinha as fibras do tecido da cicatriz para que eles possam cicatrizar corretamente, enquanto os exercícios, com peso calibrado gradualmente aumentam a força do tendão.
Este procedimento deve ser realizado todos os dias, por 6-8 semanas para ser eficaz.
Se o paciente não consegue realizar o programa de reabilitação, pode fazer apenas os exercícios de fortalecimento na academia.
Inicialmente é melhor realizar exercícios de tipo isométrico e só depois avancar nos exercícios com resistência elástica.

Rotação externa: Segurar o elástico no nível do peito. Usar a mão mais afastada do elástico e mantener o cotovelo perto do quadril. Rodar o braço para fora, longe do corpo. Mantenha o antebraço paralelo ao chão.

Rotação interna: Segurar o elástico no nível do peito. Usar a mão mais afastada do elástico e mantener o cotovelo perto do quadril. Mover a mão para dentro, perto do corpo. Mantener o antebraço paralelo ao chão.

Adução do ombro: Segurar o elástico ao nível do tórax. Começar com seu braço levantado lateralmente (abduzido) a 90° e o cotovelo em linha reta. Puxar o braço perto do ombro. Não rodar o tronco.

Remador sentado: Sentar em uma cadeira sem encosto, mantendo uma boa postura. Segurar o elástico ao nível do tórax. Começar com os braços estendidos. Puxatr o elástico em direção ao peito, tentando unir as omoplatas para trás. Retorne lentamente à posição inicial.
Os esportes que envolvem arremesso da bola e a natação devem ser evitados até que você sinta dor.

Quanto tempo dura a tendinite do supra-espinhal do ombro? O prognóstico
Aproximadamente 70% dos pacientes com tendinite do supra-espinhal melhora em cerca de 2-4 meses com o repouso, mas a fisioterapia é necessária para curar mais rápidamente.

Com o tratamento adequado, o paciente pode curar em menos de um mês do início do tratamento.
Se a tendinite não for tratada pode se tornar crônica e podem ocorrer das lesões ao longo do tempo.
Nos jovens, uma lesão do supra-espinhal completa é tratada cirurgicamente, enquanto nos idosos esta cirurgia poderá ser contra-indicada por causa de outras doenças e da degeneração do tendão.

FONTE: http://www.fisioterapiaparatodos.com/p/dor-no-ombro/tendinite-do-supraespinhoso/